“E disse Deus: Haja Luz!” O poder da oração.

“Por causa disto me ponho de joelhos perante o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo,
 Do qual toda a família nos céus e na terra toma o nome,
Para que, segundo as riquezas da sua glória, vos conceda que sejais corroborados com poder pelo seu Espírito no homem interior;
Para que Cristo habite pela fé nos vossos corações; a fim de, estando arraigados e fundados em amor,
Poderdes perfeitamente compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade,
E conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus.

Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera,
A esse glória na igreja, por Jesus Cristo, em todas as gerações, para todo o sempre. Amém”                                                                                                               (Paulo de Tarso, Ef 3.14-21)

A “Or” (אוֹר) , “Luz”, veio a existir por meio da comunicação Divina. Deus falou, ele disse e por isso veio a existir. Clama a mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes.” (Jeremias 33.3) No original, a palavra hebraica usada no capítulo 33.3 de Jeremias para “clamar”, “qə·rā” (קרא), é traduzida também por “falar”, “dizer”, “gritar”, “chamar”, “proclamar”, “ler”.

Assim como Deus no início diz, fala, chama, clama, e a Luz passa a existir, também nós quando nos comunicamos, clamamos, falamos, chamamos à existência coisas irreveladas, ocultas, pois estamos num diálogo com “aquele que tem, ele só, a imortalidade, e habita na luz inacessível; (…)” (1Timóteo 6.16), e não há como estabelecermos uma conversa com alguém como Ele e nossa vivência sobre Luz permanecer a mesma, pois lemos “que Deus é luz, e não há nele trevas nenhumas.” (IJoão 1.5). 

Se para nós a palavra não possui força ou valor, se brincamos com nossas palavras podemos ter certeza que, diferente de nós, o mundo espiritual não brinca com nossas palavras.

Compreender. Deus quer nos fazer compreender através do nosso clamor coisas profundas, largas, altas, grandes, que nos levarão a uma compreensão do que seja o seu Amor, e sobre essa fonte de Luz que está inacessível à raça humana caída.

 A sabedoria humana é falha, mas se nós orarmos aquele que fez tudo com sabedoria nos guiará e nos fará conhecer Sua vontade e a forma de alcançarmos o Jardim, o lugar de delícias, o lugar da alegria, da abundância, da vida, da energia, da saúde, do amor, da bondade, da perfeição.

Mas estamos falando de tudo isso nos pensamentos de Deus, na forma como ele entende ser o perfeito para cada um de nós. E podemos ter segurança que aquilo que Deus nos revela, mesmo que pareça distante de se cumprir, mesmo que nossos olhos não tenham contemplado, no mundo espiritual já é real, porque a primeira coisa que acontece é tomarmos conhecimento através da oração, e permanecendo em confiança, chegará o dia segundo, o terceiro… e pouco a pouco Deus vai dando forma aos projetos, aos sonhos, às suas promessas que foram tão cuidadosamente e misericordiosamente reveladas. Tudo que Deus diz vai acontecer!

Através da oração Paulo intercedia pela igreja de Éfeso, para que Cristo fosse revelado e habitasse no interior de cada efésio pelo poder do Espírito, com o fim de os fundar, os alicerçar no amor de Cristo, de os aperfeiçoar na sabedoria espiritual do Reino, dentro dos seus corações, no íntimo de cada um, e operasse muito além daquilo que pedissem ou pensassem segundo o poder de Deus para realizar.

A sabedoria estava desde o princípio disponível, Deus disse através de Salomão, no livro de Provérbios, que cada pequena coisa que surgiu no mundo, pelo poder da manifestação da vontade divina, foi expresso com sabedoria, sejam as visíveis ou invisíveis.

A oração nos abre esta dimensão, para desfrutarmos de todo o conhecimento que estiver ao nosso alcance, e que é infinitamente maior do que pressupomos.

Não podemos medir o que Deus É e nem o quanto seus pensamentos são mais justos, mais honestos, íntegros, retos, nem o quanto o seu amor está impregnado em cada ato divino, nem o quanto sua visão está em um nível infinitamente superior ao nosso para compreender cada mínimo fato que ocorre conosco. 

Eu, a sabedoria, habito com a prudência, e acho o conhecimento dos conselhos.
O temor do Senhor é odiar o mal; a soberba e a arrogância, o mau caminho e a boca perversa, eu odeio.
Meu é o conselho e a verdadeira sabedoria; eu sou o entendimento; minha é a fortaleza.
Por mim reinam os reis e os príncipes decretam justiça.
Por mim governam príncipes e nobres; sim, todos os juízes da terra.
Eu amo aos que me amam, e os que cedo me buscarem, me acharão.
Riquezas e honra estão comigo; assim como os bens duráveis e a justiça.
Melhor é o meu fruto do que o ouro, do que o ouro refinado, e os meus ganhos mais do que a prata escolhida.
Faço andar pelo caminho da justiça, no meio das veredas do juízo.
Para que faça herdar bens permanentes aos que me amam, e eu encha os seus tesouros.
O Senhor me possuiu no princípio de seus caminhos, desde então, e antes de suas obras. Desde a eternidade fui ungida, desde o princípio, antes do começo da terra.
Ainda ele não tinha feito a terra, nem os campos, nem o princípio do pó do mundo.
Quando ele preparava os céus, aí estava eu, quando traçava o horizonte sobre a face do abismo;
Quando firmava as nuvens acima, quando fortificava as fontes do abismo,
Quando fixava ao mar o seu termo, para que as águas não traspassassem o seu mando, quando compunha os fundamentos da terra.
Então eu estava com ele, e era seu arquiteto; era cada dia as suas delícias, alegrando-me perante ele em todo o tempo;

Regozijando-me no seu mundo habitável e enchendo-me de prazer com os filhos dos homens.
Agora, pois, filhos, ouvi-me, porque bem-aventurados serão os que guardarem os meus caminhos.
Ouvi a instrução, e sede sábios, não a rejeiteis.
Bem-aventurado o homem que me dá ouvidos, velando às minhas portas cada dia, esperando às ombreiras da minha entrada.
Porque o que me achar, achará a vida, e alcançará o favor do Senhor.

Mas o que pecar contra mim violentará a sua própria alma; todos os que me odeiam amam a morte.
(Provérbios 8.12-36)


Não adianta querermos entender sozinhos, usando nossa sabedoria humana, a este mundo e muito menos como são e quais são os planos espirituais de Deus para nós. Somos carnalmente limitados.

Orando poderemos descobrir em Deus a profundidade, a largura, o comprimento, a altura das coisas que estão fora do nosso acesso. Nós não temos uma mente racional e independente que possa isso, mas orando, usando a fé alcançamos a mente de Cristo pelo Espírito Santo, segundo disse o apóstolo Paulo aos coríntios na primeira carta no capítulo 2, versículo quarto em diante, onde ele discorre sobre a loucura de querermos explicar ou entender a Deus usando simplesmente nossa inteligência e lógica humanas. 

O que não sabemos Deus sabe. E como iremos descobrir? A resposta é: orando, dizendo para Deus aquilo que nos incomoda, podemos usar da máxima sinceridade. 

Orar traz a existência aquilo que é real para Deus e não para nós.

Deus conhece o caminho e quer nos ensinar. Torá significa ensino, instrução. Deus quis revelar a Moisés instruções no Sinai. Ele comunicou, ele trouxe Luz, trouxe discernimento a tudo que eles precisariam saber para serem, naquele momento, o povo de Deus. Naquele momento era o que eles precisavam e tinham condições de ouvir e aprender.

E antes da Torá ser dada no monte houve um clamor quando ainda estavam no Egito, pois o povo estava ali orando, sem compreender o porque de estarem ali tão sofridos, castigados, maltratados. Sem compreender porque estavam sobre o domínio de um líder que, aparentemente, estava sendo mais poderoso do que o Deus deles. Eles só pediram a Deus por liberdade. Deus respondeu infinitamente além daquilo que eles pediram ou pensaram que Deus poderia fazer, porque a sabedoria divina ela enxerga todas as dimensões. Deus age em níveis tanto da alma, como da experiência, como dos planos invisíveis, ele olha para nossas necessidades e vê muito além do que podemos ver.

O povo precisava muito mais do que uma terra nova e liberdade, eles precisavam saber usufruir desta liberdade com um conhecimento que eles não ainda não possuíam. 

Não bastaria o povo receber a terra como resposta ao clamor.

Os povos que viviam em Canaã estavam podendo gozar do melhor mas sem nenhuma sabedoria, eles seguiam somente aquilo que pediam seus desejos, inclinações, eles faziam o que para cada um deles era o correto, era o mais inteligente, mas estavam completamente cegos e sem possibilidade de permanecerem donos da posse da terra e da liberdade que tinham.

Deus quis preparar o povo dele para que não repetissem os feitos dos cananeus. Ele queria libertar o povo em todos os sentidos para gozarem de plena vida.

A resposta de Deus vem. Mas temos que ser perseverantes e saber que aquilo que ele nos promete hoje passará pelo crivo do tempo, que irá ser respondido muito além do que queremos, que acontecerá da forma que não imaginamos.

Como que na Criação divina Ele faria da água sair a porção seca? Porque não foi tudo feito num único dia? Porque no dia primeiro a Luz passou a existir embora nada pudesse ser visto? A terra ainda estava no escuro, ainda não haviam os luminares do dia e da noite, mas Deus estava formando os princípios sem os quais não poderia ser feita a distinção de bom ou ruim.

Não iremos ver nossos projetos com Deus nascerem sem termos discernimento das coisas porque Deus não quer isso para nós, ele quer nos dar compreensão larga, ele quer nos trazer primeiro o seu conhecimento para depois exercermos e tomarmos posse de tudo que ele deseja nos dar em nossas vidas. Ele está fazendo isso para nos dar o melhor, o perfeito, aquilo que tenha toda estrutura para que haja real felicidade, real domínio.

O Éden é o lugar de delícias, o desejo final de Deus é que experimentemos um lugar de delícias em todas as dimensões, física, espiritual, emocional, volitiva, intelectual, que de todas as formas alcancemos o seu amor.

Mas não esqueçamos que tudo tem seu tempo. Deus nos aperfeiçoará, mas não é do dia para noite. Ele nos dará discernimento mas temos um caminho por percorrer. Nós oramos, Deus dá a direção e diante disto nosso passo de confiança é descansar que lá na frente iremos descobrir tudo o que Deus planejou para cada um de nós.

Clamemos a Deus!

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s